Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Críticas de Filmes 3
 Críticas de Filmes 2.0
 Críticas de Filmes
 Twitter
 Letterboxd
 Adoro Cinema
 Arcoplex Cinemas
 Cineclick
 Cinema Com Rapadura
 Cinema Em Cena
 CinePop
 GNC Cinemas
 IMAX
 IMAX Shopping Palladium
 IMDb (The Internet Movie Database)
 Lucas Filmes
 Montreal Vídeo Locadora
 Omelete
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Críticas de Filmes 4
 


Novo Blog

Pessoal, eu tenho uma má notícia para contar a vocês, a UOL Blog desligará todos os blogs no dia 31/01/2019.
Por causa disso, mudei para outro Blog, o endereço está logo abaixo, e como seria um processo muito longo e demorado postar as diversas críticas espalhadas ao longo de quatro sites antes de fechar o mês de Janeiro, optei em levar todas as que se encontram neste Críticas de Filmes 4 com críticas do final de 2015 para as mais recentes de 2018, além de diversas outras que selecionei dos outros três blogs.
Com essa postagem, encerro minhas atividades no UOL Blog que iniciei lá em 2009 e que mantive até hoje, e espero vocês em meu novo blog.
Aguardo vocês lá... Piscadela

Acesse:
https://criticasdefilmes1.wordpress.com/



Escrito por Maurício Comin às 19h15
[] [envie esta mensagem
] []





O Primeiro Homem

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Drama do Ano. A famosa missão da Apollo 11 é mundialmente reconhecida como um momento histórico para a humanidade, além das diversas teorias da conspiração que dizem que o homem jamais pisou na lua. Perfeito nos caminhos, obstáculos e recriação de um momento histórico, O Primeiro Homem é um filme excelente e muito bom.
Adotando uma direção que remete às gravações da época, o filme é hábil em nos colocar junto dos personagens, no entanto, o diretor pesa a mão no excesso já que a câmera chacoalha excessivamente em momentos mais intensos e principalmente nos closes excessivamente fechados nos rostos do elenco, como se forçasse o espectador a ficar próximo dos personagens. Além disso, o diretor consegue criar uma expectativa imensa para a aterrissagem na lua, mas falha em compensar essa expectativa, criando uma sequência mais curta que o necessário e que não cria o impacto esperado (basta lembrar-se de A Travessia e sua inesquecível sequência da travessia para percebermos a diferença).
Centrado em Neil Armstrong, O Primeiro Homem nos leva na jornada de um homem comum e reservado frente a uma viagem que será marcante para a humanidade, mas que trazia riscos de vida, Ryan Gosling está muito bem e o ator que já tem o costume de interpretar personagens reservados, mas que guardam uma personalidade explosiva, aqui aposta num personagem introspectivo, e que em sua frieza e distanciamento da família revela muito das dores que sentiu na vida e o quanto ele evita exteriorizar seus sentimentos, algo que podemos notar que ele vai ficando cada vez mais fechado e distante conforme a missão se aproxima, evitando contato com a família. Amparado também por uma ótima Claire Foy, que empresta determinação como a esposa de Armstrong, e que é uma das poucas pessoas que parece tirar um pouco da introspecção do protagonista.
O Primeiro Homem é definitivamente um filme que gera interesse pela sua recriação de um fato histórico marcante, e por isso merece ser visto, mesmo que o filme não se torne "um pequeno passo para o homem e um grande salto para a humanidade", é um filme excelente e que conta com atuações muito boas (se Ryan Gosling e Claire Foy dominam o filme, os coadjuvantes estão muito bem), uma boa fotografia (apesar dos exageros da direção, e a sequência da lua, que foi rodada com câmeras IMAX, fica ainda mais incrível ao ser vista nas salas IMAX), impecável design de produção e figurinos, uma ótima montagem, uma trilha sonora muito boa (que cria bons temas de suspense e ação e temas dramáticos belíssimos e que dão uma natureza etérea à música), excelentes efeitos especiais, um design de som excepcional e fantástico (que impressiona na riqueza de detalhes sonoros, especialmente nas sequências das missões com seus barulhos ensurdecedores em que podemos ouvir cada detalhe dentro das naves e também da intensidade explosiva das decolagens, e que fica ainda mais fantástico em IMAX), uma história envolvente e tensa, enfim, é um filme muito bom. Altamente Recomendado. Baseado em Fatos Reais. Baseado no Livro de James R. Hansen. 4 Indicações ao Oscar 2019 nas categorias de Melhor Design de Produção, Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som e Melhores Efeitos Especiais. No Elenco de Primeira do Filme está: Ryan Gosling (Blade Runner 2049 e De Canção Em Canção), Claire Foy (Distúrbio e Uma Razão Para Viver), Jason Clarke (Por Trás Dos Seus Olhos e A Maldição Da Casa Winchester), Kyle Chandler (A Noite Do Jogo e Manchester à Beira-Mar), Corey Stoll (Ouro e Café Society), Ciarán Hinds (Operação Red Sparrow e Liga Da Justiça) e Christopher Abbott (Ao Cair Da Noite e Uma Repórter Em Apuros). Produzido por: Steven Spielberg (produziu Jurassic Park - O Parque Dos Dinossauros 3 e 4 e Transformers 1,2,3,4 e 5 e dirigiu Jogador Nº 1 e The Post: A Guerra Secreta). Escrito por: Josh Singer (escreveu The Post: A Guerra Secreta e Spotlight - Segredos Revelados). E na Direção está: Damien Chazelle (La La Land - Cantando Estações e Whiplash: Em Busca Da Perfeição). Excelente Filme!!!!!
Assista Que Você Não Vai Se Arrepender!!!!!
Nota: 9,5!!!!
Status do Filme: Breve Em DVD

Gênero: Drama
Duração: 141 Minutos [2h21]

Informações do DVD:
Idiomas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês SDH e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.39
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 Dolby Digital
EXTRAS:
Cenas Excluídas
Almejando a Lua
Preparando Para o Lançamento
Um Salto Gigantesco em um Pequeno Passo
A Missão que Deu Errada
Colocando Você no Lugar
Recriando o Pouso Lunar
Filmando na NASA
Treinamento de Astronauta
Comentário em Áudio

Informações do Blu-ray:
Idiomas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês SDH e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.39/1.78
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Inglês (Dolby Atmos) e Português e Espanhol (7.1 Dolby Digital Plus)
EXTRAS:
Cenas Excluídas
Almejando a Lua
Preparando Para o Lançamento
Um Salto Gigantesco em um Pequeno Passo
A Missão que Deu Errada
Colocando Você no Lugar
Recriando o Pouso Lunar
Filmando na NASA
Treinamento de Astronauta
Comentário em Áudio

Classificação Indicativa: 12 Anos
Inadequações: Violência e Drogas Lícitas
Tema: Espaço



Escrito por Maurício Comin às 20h40
[] [envie esta mensagem
] []





O Trote

Lançado nos Cinemas nos EUA. Lançado em Plataformas Digitais no Brasil. Trotes em faculdades são vistos como uma brincadeira entre os calouros e os veteranos, mas sempre tem os casos em que as brincadeiras deixam de ser brincadeiras e passam a envolver humilhação e constrangimento. Este O Trote soa menos como filme e mais como retrato da estupidez por trás dos trotes, quase se tornando um espetáculo da idiotice.
Sem ter história para contar, O Trote tenta despistar isso com uma espécie de arco narrativo para os Brad e Brett (um tentando superar um trauma, enquanto o outro começa a perceber a estupidez dos trotes), e que só dão as caras em alguns momentos, já que no restante do tempo, o filme se concentra nos diversos trotes que a fraternidade faz como "ritual de passagem", humilhando e desmoralizando cada jovem a um nível baixo e que beira a crueldade e como o filme fica basicamente nisso, assistir a esse "espetáculo" vai nos provocando um mal-estar, um sentimento de vergonha alheia e dó daquelas pessoas que aceitam passar por aquilo, e ao nos negar qualquer história, assistir O Trote é uma experiência vazia, superficial, que nada tem a dizer além daquilo que já sabemos. Se Jogos Mortais e O Albergue representam o torture porn, nada mais justo que dizer que O Trote é um prank porn. Servindo para nos fazer questionar até que ponto vai o limite da estupidez humana, assim como a nossa necessidade de ser notado, já que enquanto assistimos ao "espetáculo" do trote nos perguntamos o que leva uma pessoa a aceitar ser humilhada assim e honestamente, o fato de pessoas racionais praticarem isso e chamarem de "brincadeira" já revela muito da cabeça dessas pessoas.
Contando com atuações corretas (o elenco parece atuar de forma natural e levando sempre no extremo das coisas, com Ben Schnetzer representando bem seu personagem bonzinho e Nick Jonas sendo carismático, mas que começa a perceber o exagero dos trotes), uma direção que dá um ar documental ao filme (assim como a eficiente fotografia), uma montagem estranha (que cria elipses enormes, que saltam muito adiante no tempo, criando confusão), uma boa mixagem de som, enfim, é um filme fraco. Baseado em uma História Real. Baseado no Livro de Brad Land. No Elenco do Filme está: Ben Schnetzer (7 Dias Em Entebbe e Snowden - Herói Ou Traidor), Nick Jonas (Jumanji: Bem-Vindo à Selva e A Cilada), Gus Halper, Danny Flaherty, Virginia Gardner (Projeto Almanaque), Jake Picking e James Franco (Kin e Artista Do Desastre). E na Direção está: Andrew Neel.
Nota: 5!!!!
Status do Filme: Disponível em Plataformas Digitais e na Netflix

Gênero: Drama
Duração: 102 Minutos [1h42]

Classificação Indicativa: 16 Anos
Inadequações: Violência, Exposição De Pessoas Em Situações Constrangedoras e Degradantes, Conteúdo Sexual, Drogas e Linguagem Imprópria
Tema: Fraternidade



Escrito por Maurício Comin às 00h50
[] [envie esta mensagem
] []





Sicario: Dia Do Soldado

Bem-falado pela Crítica. Gosto muito do excelente Sicario - Terra De Ninguém que mantinha um clima absurdamente tenso do início ao fim, e recebi com certa surpresa que haveria uma continuação. No entanto, Sicario: Dia Do Soldado é bastante inferior ao anterior, mas ainda consegue ser um bom filme de ação/suspense.
Sem conseguir evocar aquela tensão que a direção do excelente Denis Villeneuve fazia com maestria, a continuação parece tentar constantemente emular o estilo de Villeneuve sem muito sucesso, com isso, o filme não consegue empolgar totalmente e não forma uma conexão com o espectador. Felizmente, Sicario: Dia Do Soldado consegue funcionar como um bom filme do gênero, sem ser inovador e mantendo o espectador interessado na história, mesmo que não inteiramente conectado com o filme.
Contando com ótimas atuações (Benicio Del Toro e Josh Brolin estão muito bem retornando aos personagens do anterior, Isabela Moner é ótima e convincente em seu papel e Catherine Keener está muito bem, mesmo sendo desperdiçada), uma fotografia muito boa (e que respeita a lógica visual do anterior), uma eficiente trilha sonora, boas sequências de ação, um ótimo design de som, uma história envolvente, enfim, é um bom filme. Recomendado. Continuação de Sicario - Terra De Ninguém. Baseado nos Personagens Criados por Taylor Sheridan. No Elenco de Primeira do Filme está: Benicio Del Toro (Star Wars: Os Últimos Jedi e Sicario - Terra De Ninguém), Josh Brolin (Minha Primeira Caçada e Sicario - Terra De Ninguém), Isabela Moner (Transformers: O Último Cavaleiro), Jeffrey Donovan (Apocalipse e Sicario - Terra De Ninguém), Manuel Garcia-Rulfo (Sete Homens e Um Destino - 2016) e Catherine Keener (Corra! e dublou Os Incríveis 2). E na Direção está: Stefano Sollima. Bom Filme!!!!
Nota: 8,5!!!!
Status do Filme: Já nas Locadoras

Gênero: Ação/Suspense
Duração: 122 Minutos [2h02]

Informações do DVD:
Idiomas do Filme em: Português e Inglês
Legendas do Filme em: Português, Inglês, Inglês (SDH) e Espanhol
Menu Interativo do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 Dolby Digital
EXTRAS:
Do Filme Para a Franquia: Continuando a História
Um Ato de Guerra: Fazendo Sicario: Dia Do Soldado
Na Terra dos Lobos: Os Personagens

Informações do Blu-ray:
Masterizado Em Alta Definição
Idiomas do Filme em: Português, Inglês, Inglês Audiodescrição, Espanhol, Francês e Francês Audiodescrição
Legendas do Filme em: Português, Inglês, Inglês (SDH), Espanhol (Castelhano), Espanhol (América Latina) e Francês
Menu Interativo do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Inglês (7.1 DTS-HD MA), Português e Espanhol (5.1 DTS-HD MA) e Inglês Audiodescrição, Francês e Francês Audiodescrição (5.1 Dolby Digital)
EXTRAS:
Do Filme Para a Franquia: Continuando a História
Um Ato de Guerra: Fazendo Sicario: Dia Do Soldado
Na Terra dos Lobos: Os Personagens
Trailers dos Próximos Lançamentos

Classificação Indicativa: 16 Anos
Inadequações: Violência, Drogas e Linguagem Imprópria
Tema: Cartéis Mexicanos/Terrorismo



Escrito por Maurício Comin às 16h20
[] [envie esta mensagem
] []





Mulheres Alteradas

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Comédia do Ano. Revelando-se uma comédia acima da média, Mulheres Alteradas é um filme muito bom que se sobressai em função das ótimas atrizes e pela direção inventiva.
Retratando as vidas de quatro mulheres, Mulheres Alteradas certamente vai agradar o público feminino (e até mesmo o masculino) por conseguir soar autêntica a vida daquelas mulheres e de seus dilemas pessoais, e as quatro atrizes conseguem dar vida a essas ótimas personagens. Infelizmente, na metade do filme, as personagens Sônia e Leandra são praticamente jogadas a escanteio e simplesmente somem do filme, apenas reaparecendo no apressado final do filme.
Mas foi na direção que Mulheres Alteradas me conquistou. O diretor Luis Pinheiro chama a atenção ao apostar em diversos longos planos ao longo do filme e principalmente, pelo uso expressivo da fotografia para ressaltar as emoções das personagens, utilizando fartamente do uso das cores para isso (como o ótimo plano que Leandra conta as sensações que o ex provoca nela, e enquanto caminha na direção dele, as cores expressam os sentimentos que a narração em off conta, ou as rápidas mudanças de cor para ressaltar um antes e depois) e também em planos inventivos (como aquele que Marinati levita da cama), mas embora aqui e ali o diretor chame a atenção demais para si (como nos planos holandeses que apenas incomodam pelo ângulo torto), o diretor surpreende com o seu trabalho.
Contando com ótimas atuações (Deborah Secco, Alessandra Negrini, Monica Iozzi e Maria Casadevall são ótimas ao criar personagens que conversam com os espectadores em função dos seus dilemas pessoais, e cada uma explora bem seus papéis), uma excelente fotografia, um ótimo design de produção, uma história envolvente e divertida, enfim, é um filme divertido e muito bom. Altamente Recomendado. Baseado na HQ de Maitena. No Elenco do Filme está: Deborah Secco (Entrando Numa Roubada e novela Segundo Sol), Alessandra Negrini (Eu Fico Loko e novela Orgulho e Paixão), Monica Iozzi (A Comédia Divina e Superpai), Maria Casadevall (Depois De Tudo), Sergio Guizé (O Homem Perfeito e Além Do Homem), Daniel Boaventura (Odeio o Dia Dos Namorados e Coisa De Mulher) e Augusto Madeira (O Nome Da Morte e Bingo: O Rei Das Manhãs). Produzido por: Fernando Meirelles (produziu O Nome Da Morte e O Filho Eterno e dirigiu 360 e Ensaio Sobre a Cegueira). E na Direção está: Luis Pinheiro. Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!
Status do Filme: Já nas Locadoras

PS.: Há cenas adicionais durante os créditos finais.

Gênero: Comédia
Duração: 88 Minutos [1h28]

Informações do DVD:
Idioma e Menu Interativo do Filme em: Português
Legenda do Filme em: Inglês
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 Dolby Digital
EXTRAS:
Trailers dos Próximos Lançamentos
Comercial - Pousada do Sandi
Trailer de Cinema

Classificação Indicativa: 12 Anos
Inadequações: Conteúdo Sexual, Drogas Lícitas e Linguagem Imprópria
Tema: Relacionamentos



Escrito por Maurício Comin às 02h10
[] [envie esta mensagem
] []





Apóstolo

Lançado Diretamente no Netflix no Brasil e nos EUA. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Suspense do Ano. Revelando-se um filme ótimo e do tipo ame ou odeie, Apóstolo constrói muito bem sua atmosfera de suspense para mudar a sua dinâmica/lógica em seu segundo ato a partir do plano que filma uma cena de cabeça para baixo e vemos uma cruz invertida que passa a nos levar à uma jornada ao inferno e o próximo parágrafo revela alguns acontecimentos do filme.
Mostrando um homem que se muda para uma comunidade para resgatar a irmã, o primeiro ato é hábil ao criar uma sensação de estranheza na pequena comunidade, chamando a atenção para diversos elementos estranhos e que serão trazidos de volta nos atos seguintes, sempre nos deixando intrigados e ansiosos por sabermos que existe algo de errado ali. Até que no segundo ato, quando recebemos as respostas e o filme apresenta conceitos de cinema fantástico (uma espécie de deusa que precisa ser alimentada), é aí que o espectador vai comprar a ideia ou vai achar estúpido, e é aqui também que o filme muda sua dinâmica ao misturar o terror humano com sobrenatural, e o resultado se não fica bem equilibrado, ao menos funciona em função do nosso investimento do primeiro ato, e o filme ainda peca ao criar buracos na trama deixando perguntas sem respostas (O que era aquela criatura mascarada que fica com a deusa? O que a deusa viu de especial no protagonista?).
Explorando um pouco a natureza humana em relação à religião e à fé cega, Apóstolo acerta ao comentar como a estrutura de um culto é destruída de dentro para fora em função do que cada um acredita e também, da fé extremista das pessoas que as levam a cometer atos terríveis e de pessoas que tiram proveito da fé das pessoas (como no diálogo "Cuidado com os falsos profetas vestidos em roupas de cordeiro, mas que na verdade são lobos famintos"), Apóstolo é um filme ótimo e que gera sentimentos mistos no espectador.
Contando com ótimas atuações (Dan Stevens dá intensidade ao seu papel, no entanto, a sua expressão constantemente fechada acaba atuando menos como composição de personagem e mais como limitação do ator, que dá as caras em alguns momentos, Lucy Boynton e Kristine Froseth trazem leveza a suas personagens, Mark Lewis Jones cria um personagem asqueroso e psicótico e dá uma atuação intensa, Bill Milner surge como um personagem bondoso e querido e Michael Sheen é excelente ao mostrar um personagem dedicado à fé e disposto a tudo para manter sua comunidade), uma direção muito boa (o diretor do filme, mais acostumado com filmes de ação, aqui adota uma câmera inquieta e tensa para criar uma atmosfera tensa, além de nos brindar com sua tradicional violência gráfica, mas é nas poucas sequências de ação que o diretor mostra o seu incrível talento para a ação com coreografia intensa e fantástica), uma ótima fotografia (que adota cores vivas que contrastam com o horror da situação, e que ainda cria planos fantásticos como o já citado que inicia de cabeça para baixo), excelente design de produção e figurinos (a reconstrução de época é muito bem feita), uma intensa trilha sonora, ótimos efeitos especiais, uma boa mixagem de som, uma história envolvente e tensa, enfim, é um ótimo filme. Recomendado. No Elenco de Primeira do Filme está: Dan Stevens (Marshall: Igualdade e Justiça e seriado Legion), Lucy Boynton (Assassinato No Expresso Do Oriente - 2017 e Sing Street: Música e Sonho), Mark Lewis Jones, Bill Milner (iBoy e O Filho De Rambow), Kristine Froseth (Sierra Burgess é Uma Loser), Paul Higgins e Michael Sheen (De Volta Para Casa e O Estado Das Coisas). E na Direção está: Gareth Evans (Operação Invasão 1 e 2). Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!
Status do Filme: Disponível no Netflix

Gênero: Suspense
Duração: 129 Minutos [2h09]

Classificação Indicativa: 18 Anos
Inadequações: Violência Extrema, Conteúdo Impactante e Conteúdo Sexual
Tema: Culto



Escrito por Maurício Comin às 21h00
[] [envie esta mensagem
] []





Nasce Uma Estrela

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Drama/Romance do Ano. Filmes envolvendo personagens que entram no mundo da música e acabam se afogando com a fama não são nenhuma novidade no Cinema, e pensando nesse aspecto, este Nasce Uma Estrela não inova o gênero, porém faz tudo direitinho e é um filme muito bom.
Apesar de não inovar o gênero, o filme compensa com as excelentes canções (e que aposto que aparecerão nas premiações) e pelo nosso envolvimento com os personagens, que são muito bem defendidos pelo elenco, especialmente em três atuações. A começar por Bradley Cooper (que também dirige o filme, e muito bem por sinal) que se entrega ao personagem sem receios, conseguindo ser uma pessoa adorável e bondosa e que trata a sua amada como uma verdadeira musa, mas que através da bebida revela um comportamento autodestrutivo e que revela muito de si, enquanto Lady Gaga traz vida à uma personagem humilde e que mesmo depois de estourar nas rádios e vencer prêmios, reage a elogios escondendo o rosto com as mãos como se aquilo tudo fosse um sonho e que ela acordará daquilo tudo num piscar de olhos, num papel que acho que a cantora/atriz faz com muita facilidade e que não parece ter exigido tanto dela, já que a personagem remete em alguns momentos à própria trajetória da cantora na indústria musical, mas quando ela canta, ela simplesmente arrasa nas sequências musicais ao mostrar toda a sua potência vocal e é impossível não ficar impressionado e Sam Elliott é perfeito ao mostrar que apesar de amar o irmão, ainda existe um aparente ressentimento entre eles.
Impressionando também nos excelentes números musicais que são dirigidos e montados com energia, nos levando para participar daquelas apresentações musicais (e o momento que um longo solo de guitarra antecede uma apresentação musical é de tirar o fôlego, criando uma expectativa que a montagem traduz perfeitamente, ao nos mostrar Ally chegando aos bastidores, enquanto o baterista bate as baquetas e Jack faz o solo de guitarra), além de uma fotografia excelente e quase documental e que cria belíssimos planos (como aquele em que Ally está no centro de um palco e que remete a Cisne Negro) e de uma excelente mixagem de som, enfim, Nasce Uma Estrela e nasce um filme muito bom. Altamente Recomendado. Refilmagem de Nasce Uma Estrela de 1937, 1954 e 1977. 8 Indicações ao Oscar 2019 nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator - Bradley Cooper, Melhor Atriz - Lady Gaga, Melhor Ator Coadjuvante - Sam Elliott, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Canção Original - Shallow e Melhor Mixagem de Som. No Elenco de Primeira do Filme está: Bradley Cooper (Cães De Guerra e dublou Vingadores: Guerra Infinita), Lady Gaga (Machete Kills), Andrew Dice Clay (Blue Jasmine e Vale Tudo), Rafi Gavron (O Acordo e Coração De Tinta: O Livro Mágico), Dave Chappelle (Undercover Brother: Com a Cor e a Coragem e Em Maus Lençóis) e Sam Elliott (A Grande Escolha e seriado The Ranch). Produzido por: Todd Phillips (produziu/dirigiu Cães De Guerra e Se Beber, Não Case! 1,2 e 3). E na Direção está o Estreante: Bradley Cooper. Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!
Status do Filme: Breve Em DVD

Gênero: Drama/Romance
Duração: 136 Minutos [2h16]

Informações do DVD:
Idiomas e Legendas do Filme em: Português (Brasil), Inglês e Espanhol
Menu Interativo do Filme em: Inglês
Formato de Tela: Letterbox 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Dolby Digital 5.1
EXTRA:
Vídeos Musicais

Informações do Blu-ray:
Idiomas e Legendas do Filme em: Português - Brasil, Inglês e Espanhol
Menu Interativo do Filme em: Inglês
Formato de Tela: Letterbox 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Inglês (Dolby Atmos TrueHD e DTS-HD MA 5.1) e Português - Brasil e Espanhol (Dolby Digital 5.1)
EXTRAS:
Canções e Performances Não Exibidas nos Cinemas
A Estrada Para o Estrelato: Fazendo Nasce Uma Estrela
Vídeos Musicais

Classificação Indicativa: 16 Anos
Inadequações: Violência, Conteúdo Sexual e Drogas
Tema: Romance



Escrito por Maurício Comin às 00h38
[] [envie esta mensagem
] []





22 De Julho

Lançado Diretamente no Netflix no Brasil e nos EUA. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Drama do Ano. Reconstruindo perfeitamente sua forte história real, 22 De Julho é um filme que, apesar de ter alguns problemas de ritmo, é excelente e intenso.
Com três atos bem definidos (o ataque terrorista, as consequências e planejamento do julgamento e o julgamento), 22 De Julho concebe cada ato perfeitamente, com o primeiro ato se sobressaindo aos demais graças à impecável direção de Paul Greengrass, que adota seu estilo para dar uma urgência e uma sensação de pânico palpáveis, sendo extremamente eficaz na recriação do ataque terrorista, assim como sua decisão de contratar atores desconhecidos para os personagens. No entanto, o filme perde um pouco do seu ritmo, especialmente no segundo ato que é um pouco mais longo que o ideal e com um ritmo bem mais lento e melancólico, que pode cansar alguns espectadores.
Contando com ótimas atuações (a decisão de contratar atores desconhecidos para os personagens é acertada e nos prende a eles, com destaque a Jonas Strand Gravli é um destaque à parte, retratando perfeitamente seu arco narrativo, de jovem alegre para um jovem introvertido e traumatizado, e que em sua jornada de dor, passa a encontrar força para superar aquilo tudo, Anders Danielsen Lie chama a atenção ao criar um homem psicopata e que pensa fazer o certo ao destruir diversas vidas, mantendo uma expressão que indica se satisfazer por ter cometido um crime e que não mostra arrependimento, Jon Øigarden retrata bem o fardo de defender um assassino e Ola G. Furuseth cria um primeiro-ministro que demonstra empatia pelas vidas perdidas), uma fotografia muito boa (que adota uma paleta cinzenta para retratar a melancolia da tragédia), um excelente design de som (e que retrata toda a situação caótica do primeiro ato com perfeição, como os hospitais lotados e com diversos barulhos), uma trilha sonora discreta e ótima, uma história envolvente e tensa, enfim, 22 De Julho é impactante ao retratar como um ataque provocado por pura xenofobia atinge diversas pessoas e as consequências disso, e ainda encontra momentos para tecer comentários sobre a realidade e dos lados políticos, se saindo muito bem nesse aspecto e conseguindo ser relevante. Baseado em Fatos Reais. Baseado no Livro de Åsne Seierstad. No Elenco do Filme está: Jonas Strand Gravli, Anders Danielsen Lie (A Noite Devorou o Mundo e Rodin), Jon Øigarden (O Cidadão Do Ano) e Ola G. Furuseth. E na Direção está: Paul Greengrass (Capitão Phillips e A Identidade Bourne 2,3 e 5). Excelente Filme!!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9,5!!!!
Status do Filme: Disponível no Netflix

Gênero: Drama
Duração: 143 Minutos [2h23]

Classificação Indicativa: 16 Anos
Inadequações: Violência e Conteúdo Impactante
Tema: Atentado



Escrito por Maurício Comin às 19h43
[] [envie esta mensagem
] []





Venom

Mal-falado pela Crítica. O personagem Venom é mais conhecido do público pela sua aparição como vilão no excelente Homem-Aranha 3, mas que não correspondeu bem aos fãs dos quadrinhos (eu como consumidor de super-heróis através do cinema, gostei muito do que foi mostrado naquele filme). No entanto, sendo apresentado sem ser vilão do Homem-Aranha e situado em um universo no qual ele não aparecerá, este Venom não empolga e é bem fraquinho, mas diverte com as bizarrices e o humor involuntário.
Mostrando o personagem como anti-herói, Venom jamais consegue empolgar ou dar alguma emoção ao espectador, que não se conecta direito com a jornada dos personagens (o jornalista Eddie Brock e o próprio Venom) e sequer nos empolgamos com as sequências de ação, tudo é ordinário e comum. Divertindo ao menos com as bizarrices e o humor involuntário de algumas sequências (somente com Venom que veremos Tom Hardy dentro de um tanque de lagostas ou uma criança e um cachorro serem possuídos pelo simbionte) e de vá lá, alguns bons momentos, isso acaba sendo pouco para salvar o filme já que tudo acaba soando tosco demais para levar a sério.
Não se adaptando a qualquer gênero, Venom surge como um filme em que o estúdio mostra-se desesperado para ganhar algum dinheiro em cima de um nome famoso e lança qualquer coisa no cinema. Contando ao menos com boas atuações (Tom Hardy dá o seu melhor no seu personagem e o ator nos diverte com os seus exageros, como no momento em que ele imita o ET de E.T.: O Extraterrestre, Michelle Williams dá dignidade à sua personagem ao mostrar que se importa com Eddie e Riz Ahmed é eficiente como um vilão de motivações fracas), uma fraca direção (que parece perdida ao misturar ação, terror e comédia, e falhando em tudo, sem contar no clímax quando a luta entre simbiontes fica difícil de ver), um ótimo 3D, uma eficiente fotografia, uma trilha sonora fraca e barulhenta, um ótimo design de som, bons efeitos especiais (que pecam pelos simbiontes não soarem tão convincentes, revelando sua artificialidade, mesmo que o visual de Venom seja bem acertado), enfim, é um filme fraco. Baseado na HQ da Marvel. No Elenco de Primeira do Filme está: Tom Hardy (Lendas Do Crime e Dunkirk), Michelle Williams (Sexy Por Acidente e Todo o Dinheiro Do Mundo), Riz Ahmed (Rogue One: Uma História Star Wars e Jason Bourne), Scott Haze (Honra Ao Mérito) e Reid Scott (Diversão Macabra). E na Direção está: Ruben Fleischer (Caça Aos Gângsteres e 30 Minutos Ou Menos).
Nota: 6!!!!
Status do Filme: Breve Em DVD

PS.: Há cenas adicionais durante e depois dos créditos finais.

Gênero: Ação/Aventura
Duração: 112 Minutos [1h52]

Informações do DVD:
Idiomas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês (SDH) e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 Dolby Digital
EXTRAS:
Vídeo Musical
Pré-Visualização: Homem-Aranha No Aranhaverso

Informações do Blu-ray:
Masterizado Em Alta Definição
Idiomas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês (SDH) e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 DTS-HD MA
EXTRAS:
Cenas Deletadas
Modo Venom: Trivia Track
O Protetor Letal em Ação
O Anti-Herói
Visão de Venom
Projetando o Venom
Segredos de Simbiontes
Pré-Visualização de Cenas Selecionadas
Vídeos Musicais
Pré-Visualização: Homem-Aranha No Aranhaverso

Informações do Blu-ray – Edição Steelbook – Dois Discos:
Disco 1:
Masterizado Em Alta Definição
Idiomas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês (SDH) e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.40
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Inglês e Português (5.1 DTS-HD MA) e Espanhol (5.1 Dolby Digital)
EXTRAS:
Cenas Deletadas
Modo Venom: Trivia Track
O Protetor Letal em Ação
O Anti-Herói
Visão de Venom
Projetando o Venom
Segredos de Simbiontes
Pré-Visualização de Cenas Selecionadas
Vídeos Musicais
Pré-Visualização: Homem-Aranha No Aranhaverso

Disco 2:
Masterizado Em Alta Definição
Idioma dos Extras em: Inglês
Legendas e Menus Interativos dos Extras em: Inglês e Português
Formato de Tela: WideScreen 1.78
Tipo de Áudio: 2.0 Dolby Digital
EXTRA:
De Simbionte Para as Telas

Classificação Indicativa: 14 Anos
Inadequações: Violência e Drogas Lícitas
Tema: Super-Herói



Escrito por Maurício Comin às 22h10
[] [envie esta mensagem
] []





Operação Final

Lançado nos Cinemas nos EUA. Lançado Diretamente no Netflix no Brasil. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Suspense do Ano. Narrando uma história real que prende a atenção logo em seu primeiro minuto e que não solta mais até o final, Operação Final é um filmaço que merece ser descoberto.
Levando o espectador em uma trama de tirar o fôlego que remete aos excelentes Operação Valquíria e Argo, o filme dedica seu primeiro ato aos espiões que fizeram a investigação e o planejamento da captura de um oficial nazista que colaborou com o Holocausto e o filme também constrói um pouco da figura do oficial nazista (e a visão ainda assustadora que os neonazistas têm), e se a parte estratégica já é suficientemente tensa, é a partir do segundo ato que o filme realmente testa os nervos do espectador, onde a desconfiança e a tensão entre os personagens é testada (e um dos prazeres do filme é ver a dinâmica que passa a ser criada entre Peter Malkin e Adolph Eichmann, em que o primeiro odeia o segundo e como eles vão se abrindo um com o outro), e o clímax do filme, mesmo soando como liberdade criativa, é de tirar o fôlego (e que parece homenagear o clímax de Argo).
Contando com atuações e direção muito boas (Oscar Isaac é ótimo em seu personagem, revelando um caráter bondoso, mas com tendência explosiva e é um ótimo toque do ator revelar um pouco do nervosismo do personagem quando ele repete uma informação antes de fazê-la, Ben Kingsley entrega uma de suas melhores atuações em muito tempo, ao criar um Adolph Eichmann que nos faz odiá-lo em função de ter feito o que fez só por estar "cumprindo ordens", e o roteiro consegue suavizá-lo ao dar alguma humanidade ao personagem e que o ator consegue fazer perfeitamente e Mélanie Laurent está muito bem, e a direção merece destaque ao estabelecer um clima de tensão constante, e também ao imitar o plano de um filme que está sendo exibido num cinema, recriando aquela mesma situação depois), uma ótima fotografia, impecável design de produção e figurinos, uma trilha sonora fantástica e excelente (e que cria composições tensas e sombrias que ajudam a criar o clima de tensão), bons efeitos especiais e sonoros (o rejuvenescimento digital de Ben Kingsley é eficiente, embora revele um pouco da sua natureza digital), uma história envolvente e tensa, enfim, é um filme excelente. Altamente Recomendado. Baseado em uma História Real. No Elenco de Primeira do Filme está: Oscar Isaac (Aniquilação e Suburbicon: Bem-Vindos Ao Paraíso), Ben Kingsley (Busca Sem Limites e War Machine), Mélanie Laurent (O Retorno Do Herói e À Beira Mar), Lior Raz (seriado Fauda), Nick Kroll (Tio Drew e A Casa Caiu: Um Cassino Na Vizinhança), Haley Lu Richardson (Columbus e Fragmentado) e Joe Alwyn (A Longa Caminhada De Billy Lynn). E na Direção está: Chris Weitz (Uma Vida Melhor e A Saga Crepúsculo: Lua Nova). Excelente Filme!!!!!
Assista Que Você Não Vai Se Arrepender!!!!
Nota: 10!!!!
Status do Filme: Disponível no Netflix

Gênero: Suspense
Duração: 123 Minutos [2h03]

Classificação Indicativa: 16 Anos
Inadequações: Violência e Drogas Lícitas
Tema: Missão



Escrito por Maurício Comin às 20h00
[] [envie esta mensagem
] []





Tully

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes do Ano e Um dos Melhores Filmes de Comédia Dramática do Ano. Por ser homem, não sou capaz de compreender a rotina de uma mãe e sequer sou pai (ainda), mas posso ter a empatia por uma pessoa que passa a carregar por nove meses um bebê em gestação, que tem que passar pela dor de parto e que irá cuidar, amamentar e educar seu filho junto com o pai, sofrendo com as rotinas que são mudadas com a chegada de uma nova pessoinha à uma rotina acostumada apenas com duas pessoas adultas. E certamente Tully vai ganhar um apreço especial para as mulheres e mamães que cuidam dos seus filhos, e é um filme muito bom que discute a maternidade ao mostrar que nem tudo é flores para quem é mãe.
Completamente centrado em Charlize Theron, este Tully apresenta Marlo, uma mãe de três filhos, que ao perceber estar prestes a desabar com o cansaço, decide contratar uma babá noturna para ajudar a cuidar do filho recém-nascido e é a partir da relação entre as duas que o filme passa a se desenvolver, com ambas discutindo sobre diversas coisas da vida. Mas ao final do filme descobrimos que aquela babá não existia, que era fruto da imaginação de Marlo como forma de lidar com a sua rotina e também consigo mesma que ainda sente um pouco de saudades de quando era mais nova (e Tully é o nome da babá, que é o mesmo nome de solteiro de Marlo), já que ao relembrarmos de alguns momentos do filme, podemos perceber como Marlo diz que sua babá a faz lembrar dela mesma quando mais nova, o que significa que a versão mais nova dela mesma está também ajudando-a crescer e amadurecer na vida. Podemos dizer que o filme não deixa de ser uma sequência espiritual do ótimo Jovens Adultos, que também tinha Charlize Theron aprendendo a crescer e lidar com os na vida.
Contando com atuações e direção muito boas (Charlize Theron está excelente em sua atuação, demonstrando um cansaço monstruoso em cena que chega a gerar preocupação e passando a ficar melhor conforme vai ajeitando sua rotina, Mackenzie Davis está muito bem, demonstrando uma simpatia e um carisma adorável, e chega a ser um quase reflexo da personagem de Charlize Theron e Ron Livingston faz o possível com seu personagem com pouco tempo de tela, e a direção acerta ao dar pistas de sua reviravolta desde o início do filme), uma boa fotografia, uma ótima montagem (que dá um bom ritmo à uma história que poderia ser maçante), uma história envolvente, enfim, é um filme muito bom. Altamente Recomendado. No Elenco de Primeira do Filme está: Charlize Theron (Gringo - Vivo Ou Morto e Atômica), Mackenzie Davis (Blade Runner 2049 e Perdido Em Marte), Mark Duplass (Blue Jay e Renascina Do Inferno) e Ron Livingston (A 5ª Onda e Invocação Do Mal). Escrito por: Diablo Cody (escreveu Ricki And The Flash: De Volta Pra Casa e Jovens Adultos). E na Direção está: Jason Reitman (Homens, Mulheres e Filhos e Refém Da Paixão). Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!!
Status do Filme: Disponível na Amazon Prime Video

Gênero: Comédia Dramática
Duração: 96 Minutos [1h36]

Classificação Indicativa: 14 Anos
Inadequações: Conteúdo Sexual e Drogas Lícitas
Tema: Maternidade



Escrito por Maurício Comin às 22h08
[] [envie esta mensagem
] []





Noite De Lobos

Lançado Diretamente no Netflix no Brasil e nos EUA. Filmes de suspense, ainda mais aqueles cheios de mistérios e reviravoltas, normalmente costumam criar uma expectativa (ou pista), para depois nos dar a recompensa. Em Noite De Lobos temos um suspense que prende a atenção, mas soa pretensioso ao nos negar uma recompensa depois de todo o nosso envolvimento e investimento na história.
Construindo uma atmosfera gélida e muito eficiente, Noite De Lobos prende a atenção pelas questões intrigantes que levantamos sobre os personagens e suas atitudes (O que levou Cheeon a promover um massacre? Qual o motivo da jornada de mortes que Vernon? O que levou Medora a desaparecer? Qual o sentido disso tudo?), só que tudo isso que passamos a nos perguntar, o filme jamais nos concede uma resposta, deixando tudo no ar da forma mais pretensiosa e ridícula possível, e não ajuda muito as duas horas de duração que é simplesmente longo demais para um filme do gênero.
Contando com ótimas atuações (Jeffrey Wright é ótimo em sua atuação com um personagem dedicado à sua investigação, Alexander Skarsgård entrega uma atuação intensa e silenciosa e que revela muito do seu personagem, como uma sequência que ele silenciosamente mata um estuprador com uma faca e entrega a faca para a vítima, e que logo depois leva um tiro de raspão e mostra um autocontrole admirável em sua reação e James Badge Dale está muito bem como um policial dedicado), uma direção que se afunda nas próprias pretensões (e que jamais consegue investir direito nos gêneros que o filme transita, passando de ação para terror de possessão apenas por que o roteiro pediu), uma belíssima fotografia, uma trilha sonora evocativa e interessante, um bom design de som, uma história envolvente e tensa, enfim, é um filme muito fraco. Baseado no Livro de William Giraldi. No Elenco de Primeira do Filme está: Jeffrey Wright (Jogos Vorazes 2,3 e 4 e seriado Westworld), Alexander Skarsgård (Mudo e A Lenda De Tarzan), James Badge Dale (Homens De Coragem e Spectral), Riley Keough (Logan Lucky - Roubo Em Família e Ao Cair Da Noite) e Julian Black Antelope. E na Direção está: Jeremy Saulnier (Sala Verde e Ruína Azul).
Nota: 5!!!!
Status do Filme: Disponível no Netflix

Gênero: Suspense
Duração: 125 Minutos [2h05]

Classificação Indicativa: 16 Anos
Inadequações: Violência, Conteúdo Impactante e Nudez
Tema: Investigação



Escrito por Maurício Comin às 22h38
[] [envie esta mensagem
] []





A Melhor Escolha

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes de Drama do Ano. Construindo uma história dramaticamente eficiente, A Melhor Escolha é um ótimo drama, e que constrói um primeiro ato que realmente nos captura e realmente nos atinge emocionalmente. Mas quando o seu segundo ato chega, o filme parece desejar estender a história ao máximo de forma artificial (como a sequência da compra do celular, ou o longo momento em que um personagem acaba sendo parado pela polícia e que acaba parando o filme ali), e isso acaba pesando tendo em vista sua duração. Felizmente, o filme se alinha um pouco ao final, só que infelizmente, o segundo ato ocupa uma porção bem considerável do filme. No entanto, o que faz o filme se sustentar perfeitamente ao longo de duas horas são os três excelentes atores que estão no cartaz do filme entregando atuações fantásticas que sozinhas já valem o filme, além de um ótimo senso de humor que faz a experiência ficar menos pesada, dando uma relaxada no espectador.
Contando com excelentes atuações (Steve Carell cria uma pessoa introspectiva e que sofreu tanto na vida que ele parece evitar que aquilo tudo transborde para fora, e seus raros momentos que ele se diverte com os amigos parece o momento que ele relaxa e se liberta um pouco da dor profunda que ele tem, Bryan Cranston mais uma vez, dá um show de atuação ao criar um personagem que há muito não liga mais para as coisas e se diverte com isso e Laurence Fishburne é excelente como um homem que mesmo não se orgulhando do seu passado e do que fez, encontra conforto em Deus seja para dizer Sua palavra ou como forma de penitência, e os três atores têm uma excelente sintonia em cena e mereciam ter sido lembrado nas premiações), uma ótima direção e fotografia, uma discreta e eficiente trilha sonora, uma história envolvente, enfim, é um ótimo filme. Recomendado. Baseado no Livro de Darryl Ponicsan. No Elenco de Primeira do Filme está: Steve Carell (A Guerra Dos Sexos e dublou Meu Malvado Favorito 1,2 e 3), Bryan Cranston (Power Rangers e dublou Ilha Dos Cachorros), Laurence Fishburne (Homem-Formiga e a Vespa e John Wick: Um Novo Dia Para Morrer), Yul Vazquez (A História Real De Um Assassino Falso e Conexão Escobar), J. Quinton Johnson (Jovens, Loucos e Mais Rebeldes!!!) e Cicely Tyson (Evocando Espíritos 2 e A Sombra Do Inimigo). E na Direção está: Richard Linklater (Jovens, Loucos e Mais Rebeldes!!! e Boyhood - Da Infância à Juventude). Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!!
Status do Filme: Já nas Locadoras

Gênero: Drama
Duração: 125 Minutos [2h05]

Informações do DVD:
Idiomas do Filme em: Português e Inglês
Legenda e Menu Interativo do Filme em: Português
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 1.85
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 Dolby Digital
EXTRA:
Trailers dos Próximos Lançamentos

Informações do Blu-ray:
Idiomas do Filme em: Português e Inglês
Legenda e Menu Interativo do Filme em: Português
Formato de Tela: WideScreen 1.85
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 DTS-HD MA
EXTRA:
Trailers dos Próximos Lançamentos

Classificação Indicativa: 12 Anos
Inadequações: Drogas e Linguagem Imprópria
Tema: Reencontro



Escrito por Maurício Comin às 03h30
[] [envie esta mensagem
] []





Maria Madalena

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes de Drama do Ano. Maria Madalena foi considerada uma prostituta (um erro histórico corrigido há apenas dois anos), provavelmente em função de ser a única mulher dentro do movimento em que Jesus era considerado um Messias. Retratando a clássica história da Bíblia sob o olhar dela, este Maria Madalena atualiza a visão da apóstola e rende uma história bonita e emocionante.
Mais uma vez retratando a história de Jesus Cristo e sua crucificação, Maria Madalena tem seu principal diferencial a visão da apóstola e apenas isso, tanto que seu primeiro ato é o seu melhor quando apresenta a vida dela antes de conhecer Jesus Cristo. Já no restante do tempo assistimos aquilo que já conhecemos da história que conhecemos (com algumas pequenas diferenças), o que não invalida o efeito dramático do filme. E o terceiro ato, mais especificamente em seu final onde ocorre uma sequência com Maria e os apóstolos é excelente ao mostrar algo que ainda é atual na sociedade, com pessoas que dizem pregar a palavra de Deus, mas que só estão se aproveitando para pregar a sua palavra, não a Dele.
Contando com ótimas atuações e direção (Rooney Mara está muito bem como a protagonista, mostrando engajamento na causa de Jesus, Joaquin Phoenix é perfeito como Jesus, transmitindo uma paz e calma contagiante até mesmo para o espectador, Chiwetel Ejiofor está ótimo e Tahar Rahim transforma Judas em uma pessoa boa, mas que em sua traição revela não um ódio aos planos de Deus, mas sim por incompreensão dos mesmos, numa boa sacada do roteiro, enquanto a direção emula o diretor Terrence Malick em algumas sequências, com seus planos contemplativos e calmos), uma bela fotografia, uma trilha sonora linda (e que adota composições calmas e etéreas e que complementam o tom religioso da história), ótimos figurinos e design de produção, uma história envolvente, enfim, é um ótimo filme. Recomendado. Inspirado na História da Bíblia. No Elenco de Primeira do Filme está: Rooney Mara (Sombras Da Vida e De Canção Em Canção), Joaquin Phoenix (Você Nunca Esteve Realmente Aqui e Homem Irracional), Chiwetel Ejiofor (Doutor Estranho e dublou Gnomeu e Julieta: O Mistério Do Jardim) e Tahar Rahim (Os Anarquistas e Samba). E na Direção está: Garth Davis (Lion - Uma Jornada Para Casa). Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!
Status do Filme: Já nas Locadoras

Gênero: Drama
Duração: 120 Minutos [2h]

Informações do DVD:
Idiomas do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês SDH, Espanhol, Tailandês, Indonês, Chinês 1, Chinês 2 e Coreano
Menu Interativo do Filme em: Português, Inglês, Espanhol, Tailandês, Indonês, Chinês 1, Chinês 2 e Coreano
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.20
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Dolby Digital 5.1
EXTRAS:
Maria Madalena: O Elenco
Dirigindo Maria Madalena

Classificação Indicativa: 12 Anos
Inadequação: Violência
Tema: Bíblia



Escrito por Maurício Comin às 17h51
[] [envie esta mensagem
] []





O Mistério Do Relógio Na Parede

Bem-falado pela Crítica. Um dos Melhores Filmes de Aventura do Ano. Antigamente, costumávamos ter os famosos filmes matinês, que seriam aqueles que viriam a fazer muito sucesso numa Sessão Da Tarde da vida, e normalmente eram filmes infantis ou adolescentes com uma levada mais sombria, e que grandes diretores como Steven Spielberg e Tim Burton eram seus precursores e adotam esse espírito matinê em alguns de seus filmes que dirigiram ou produziram. E este O Mistério Do Relógio Na Parede resgata esse clima de aventura matinê sombria e é um filme ótimo e muito bacana.
Abraçando muito bem seu espírito de aventura, o filme certamente tem seu apelo com o público infanto-juvenil, já que consegue transitar entre o sombrio e o leve com bastante eficiência, mas falta ao diretor Eli Roth - mais conhecido por obras como O Albergue -, que embora consiga surpreender ao trazer bastante leveza para a trama, faltou um pouco de cuidado com o macabro (inserir demônios em uma narrativa com feiticeiros soa sinistro demais, embora a caracterização seja leve), um cuidado que certamente Tim Burton teria feito com mais esmero, já que é a marca registrada dele. No entanto, o diretor sabe construir bem algumas imagens macabras que funcionam (como o vitral com três cadáveres ou uma personagem se transformando em outra) na lógica narrativa do filme, assim como brinca um pouquinho com sua violência exagerada sob uma ótima mais infantil.
Contando com ótimas atuações (Jack Black explora bem seu carisma para o seu personagem, Cate Blanchett traz elegância à sua atuação com uma personagem interessante, Owen Vaccaro está ótimo, embora em alguns momentos não convença bem e Kyle MacLachlan está muito bem como vilão), uma boa fotografia, uma ótima maquiagem e design de som, um excelente design de produção (que reconstrói bem a época e que em conjunto com os excelentes figurinos, explora bem os cenários coloridos e sombrios conforme as necessidades do momento, se destacando também o roxo constante que está em boa parte da caracterização da personagem Florence), uma boa trilha sonora, ótimos efeitos especiais (que estão ótimos em boa parte do tempo, embora vez ou outra, alguma artificialidade seja notada), uma história envolvente, divertida e tensa, enfim, é um ótimo filme. Altamente Recomendado. Baseado no Livro de John Bellairs. No Elenco de Primeira do Filme está: Jack Black (Jumanji: Bem-Vindo à Selva e O Rei Da Polka), Cate Blanchett (Oito Mulheres e Um Segredo e Thor: Ragnarok), Owen Vaccaro (Pai Em Dose Dupla 1 e 2), Renée Elise Goldsberry (O Jogador e seriado Altered Carbon), Sunny Suljic (O Sacrifício Do Cervo Sagrado) e Kyle MacLachlan (Paz, Amor e Muito Mais e seriado Twin Peaks). Escrito por: Eric Kripke (escreveu O Pesadelo e seriado Sobrenatural - Supernatural). E na Direção está: Eli Roth (Desejo De Matar - 2018 e Bata Antes De Entrar). Ótimo Filme!!!!
Assista Que Você Vai Gostar!!!!!
Nota: 9!!!!
Status do Filme: Breve Em DVD

Gênero: Aventura
Duração: 104 Minutos [1h44]

Informações do DVD:
Idiomas, Legendas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.39
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: 5.1 Dolby Digital
EXTRAS:
Abertura e Final Alternativos
Cenas Excluídas

Informações do Blu-ray:
Idiomas e Menus Interativos do Filme em: Português, Inglês e Espanhol
Legendas do Filme em: Português, Inglês (SDH) e Espanhol
Formato de Tela: WideScreen Anamórfico 2.39
Seleção de Cenas
Tipo de Áudio: Inglês (Dolby Atmos) e Português e Espanhol (7.1 DTS-HD High Resolution)
EXTRAS:
Abertura e Final Alternativos
Cenas Excluídas
Erros de Gravação
Feiticeiros e Bruxas
A Magia do Cinema
Tique-Taque: Dando Vida ao Livro
Eli Roth: Diário do Diretor
Owen Vai Para os Bastidores
Desafio da Canção Tema
Você Conhece Jack Black?
Abracadabra!
O Maior Medo de Jack Black
O Poderoso Wurlitzer
Comentário em Áudio

Classificação Indicativa: 10 Anos
Inadequação: Violência
Tema: Magia



Escrito por Maurício Comin às 21h10
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]